Me sinto em um turbilhão de sensações, acho que estou em crise existencial. Mas não faz sentido eu vivenciar uma crise justamente nesse momento da minha vida, sou tão nova, e ao mesmo tempo, sinto que sou tão velha. Aos vinte e poucos anos é como se nada fizesse sentido. Se já estou assim agora, imagina quando chegar aos trinta? Eu quero tudo, vivenciar a vida na maior intensidade possível, aproveitar os estudos, o trabalho, as festas, as viagens, tudo o que a vida puder me oferecer; mas ao mesmo tempo não quero nada, quero apenas dormir, porque sinto como se não tivesse forças para continuar e não vou ter tempo para alcançar tudo o que desejo. Sinto como se precisasse correr contra o tempo para fazer tudo o que preciso.
Tenho a sensação de que todos a minha volta estão com uma vida melhor, mesmo que estejamos na mesma faixa etária. E não sei o que há de errado. Vejo antigos colegas de escola se casando e percebo que tudo deu errado na minha vida amorosa. Não que meu objetivo de vida seja o casamento, mas sinto que a vida poderia ser melhor se eu tivesse encontrado a pessoa certa pra mim, poderia ter alguém para compartilhar a vida, mas eu não tenho. Como os outros conseguem viver um bom relacionamento, menos eu? Será que eu tenho algum problema? Qual o sentido de ainda não ter encontrado uma boa pessoa? Provavelmente, o problema sou eu. Vejo amigas com seus lindos bebês, o que me desperta a vontade de ser mãe, mas fico na dúvida se seria boa nisso. Todos os que conheço fazem viagens melhores do que eu e parecem viver situações muito mais interessantes do que eu. É como se a vida de todos estivesse dando certo e eu estivesse parada no tempo.






Parece que já vivi tudo o que precisava viver, todas as situações mais importantes da minha vida já aconteceram, todas as emoções já foram sentidas, e não há nada de novo para acontecer. E isso me deixa ansiosa. Preciso de novas sensações. Não é possível que não há nada a se fazer.
No trabalho, todos parecem bem e felizes, enquanto eu tenho a sensação de estar fazendo algo de errado com a minha carreira. Fico preocupada se estou no caminho certo, ainda não alcancei todos meus objetivos profissionais e tenho a sensação de que não vou conseguir alcançar. E isso faz com que eu me sinta fracassada. Tudo parece ser tão difícil, só encontro obstáculos no meu caminho e não sei se estou fazendo as escolhas certas para mudar isso. Qual caminho devo seguir? Como saber se vou conseguir chegar onde realmente quero? Quantas tentativas frustradas ainda vou ter? Vale a pena continuar tentando ou devo apenas desistir? São tantas dúvidas que passam pela minha cabeça, que eu realmente não sei o que fazer.
Em alguns dias me sinto bem, sinto como se tudo fosse melhorar, eu posso sorrir e tenho forças para seguir adiante, enquanto em outros me sinto péssima por ainda estar aqui, sem saber como devo prosseguir, e sinto apenas vontade de chorar. É estranha essa sensação, às vezes sinto o amor dos outros, mas em outros dias é como se ninguém me entendesse e eu estivesse sozinha no mundo.
Aceitar isso, aceitar minhas próprias crises e perceber que é natural essa ansiedade, essa vontade de correr contra o tempo, me ajuda a entender que essa fase é necessária, é uma transição importante, principalmente para me conhecer melhor, entender que a vida adulta é assim mesmo e torcer para que as coisas melhorem no futuro. 

10 Comentários

  1. Amadurecer é a cada dia ver menos sentido.
    GK

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essas fases são realmente necessárias para nos tornarmos mais maduros, e às vezes, a gente demora para se dar conta disso, do quanto é importante passar por momentos assim.

      Excluir
  2. Eu e um amigo chamávamos isso de crise de 1/4 de idade, já que a de meia-idade é pra vir lá pelos 40. Na verdade eu roubei o termo de uma música do John Mayer, mas, divago: voltemos ao ponto do comentário, que é ... hmmm ... ponto nenhum, na verdade.

    Não sei se saí da minha própria crise de 1/4 de idade, ou se as coisas boas que aconteceram nos últimos meses estão apenas mascarando a dúvida existencial subjacente (nossa, 'dúvida existencial subjacente', deu vontade de bater em mim mesmo agora), uma espécie de calmaria antes da tempestade. Ou se talvez não seja uma crise, talvez SEJE, como errar, algo inerente à condição UMANA.

    Citando John Mayer de novo (que é um cara meio babaca, na verdade, mas escreve letras ótimas. Aliás, meus compositores favoritos são meio babacas: John Mayer, Noel Gallagher. Será que isso fala mais sobre mim do que eu acho? Mas, enfim. Divago, de novo), talvez todo mundo "(...) wonder(s) sometimes about the outcome of a still verdictless life"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É engraçado que logo após escrever esse texto (deve fazer um mês que o escrevi, só não havia postado aqui ainda), algumas coisas começaram a melhorar, mas a crise em si ainda não passou, e talvez ainda demore um pouco para passar. Na verdade, tenho tentado lidar melhor com algumas situações, tentado aceitar que não tenho controle sobre certas coisas e mudar a minha forma de agir com relação à outras. Eu tenho mudado, minha relação com as outras pessoas tem mudado e a minha vida tem mudado, e acredito que buscar entender o que se passa com a gente e enfrentar isso é o que faz as coisas melhorarem, e a vida adulta é assim mesmo, é isso que nos faz crescer e amadurecer.

      P.S.: Gosto muito do Oasis (confesso que não conheço músicas solos do Noel) e do John Mayer (me apaixonei por ele por causa do último Rock in Rio e fiquei alguns meses em uma overdose de músicas dele).

      Excluir
  3. É Ótimo escrever esses sentimentos, pois ajuda e muito (pelo menos comigo). E sim, como você disse , tem que aceitar a crise e saber que tudo passa!


    http://blogexplicita.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colocar para fora o que sentimos sempre ajuda, seja escrevendo, desabafando com alguém ou, se for o caso, até mesmo em terapia; acho que o mais importante é a gente refletir sobre os nossos sentimentos e as situações que a gente vive, já que é a partir disso que temos a possibilidade de perceber o que precisamos mudar e superar o que está nos causando mal.

      Excluir
  4. Adorei o seu texto , eles estão ficando cada vez melhores :)
    Escrever sempre é o melhor remédio , para quando estamos nos sentindo assim ...

    http://coisasdediane.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiquei feliz em saber que meus textos estão ficando melhores, Diane, é realmente muito bom ler isso. Escrever me ajuda a colocar meus pensamentos no lugar, refletir sobre o que está acontecendo comigo e com meus sentimentos, é algo que realmente me faz bem.

      Excluir